sábado, 10 de março de 2012

CAMPOS DA PSICOLOGIA


Psicologia animal:
Várias são as explicações sobre esse assunto, estas se dividem em escolas, que trataram do assunto de diferentes óticas, exemplo:
·       Os behavioristas: Sustentavam que todo comportamento, incluindo respirar e a circulação do sangue, é aprendido; acreditavam que os animais nascem como uma "página em branco" sobre a qual o acaso e as experiências irão escrevendo suas mensagens.
·       O inato: a etologia: sustenta que o comportamento dos animais é inato (instintivo). Os defensores deste enfoque sustentam que os comportamentos tardios na vida dos animais não são fruto da aprendizagem, mas da maturidade do indivíduo, como acontece, por exemplo, com o voo das aves.

Psicologia genética:
A genética comportamental é uma disciplina científica que estuda os mecanismos genéticos e neurobiológicos envolvidos em diversos comportamentos animais e humanos. Podemos caracterizá-la como uma área de intersecção entre a genética e as ciências de comportamento.
A engenharia genética forneceu as ferramentas necessárias ao estudo do comportamento associado à genética molecular. Isto permite que, progressivamente, possamos avançar na identificação de genes capazes de modular certos comportamentos, e de entender como estes genes interagem com o ambiente na formação de traços normais e patológicos da personalidade humana.

Psicologia social:
Psicologia social é o estudo do comportamento e dos processos mentais do indivíduo quando em grupos; é a ciência que procura compreender os “comos” e os “porquês” do comportamento social; a interação social, a interdependência entre os indivíduos e o encontro social. Seu campo de ação é, portanto, o comportamento analisado em todos os contextos do processo de influência social. Tal psicólogo estuda também certos fenômenos como formação e mudança de atitudes, os processos de comunicação de massa, o fenômeno liderança e outras formas de interação social.

Psicologia patológica:
Psicopatologia é uma disciplina Inter científica fundamental no estudo dos estados psíquicos patológicos. A psicopatologia enquanto estudo das anormalidades da vida mental é às vezes referida como psicopatologia geral, psicologia anormal, psicologia da anormalidade e psicologia do patológico. É uma visão das patologias mentais fundamentada na fenomenologia (no sentido de psicologia das manifestações da consciência), em oposição a uma abordagem estritamente médica de tais patologias, buscando não reduzir o sujeito a conceitos patológicos, enquadrando-o em padrões baseados em pressupostos e preconceitos.

Psicologia diferencial:
Psicologia diferencial ou psicologia da personalidade é a parte da psicologia que se dedica às características psicológicas em que os seres humanos se diferenciam. Seus principais temas são: a personalidade, a inteligência, o temperamento, as competências individuais.

Psicologia aplicada:
É a parte da ciência que se dedica à solução de problemas práticos com base no conhecimento teórico obtido pela pesquisa básica. Na psicologia recebe o nome de psicologia aplicada - que tem por fim o desenvolvimento de métodos de intervenção psicológica.

  a)   Clínica:
Dedica-se ao estudo dos problemas de comportamento e dos processos mentais, com as suas áreas ainda mais práticas: a intervenção clínico-psicológicaengloba a psicoterapia, a psicologia da reabilitação, o aconselhamento psicológico, e o trabalho de diagnóstico clínico.
        
  b)  Aconselhamento:
Lida com casos menos complexos, quanto a natureza do problema. Geralmente, são casos que não demandariam a assistência de um psiquiatra ou de um psicólogo clínico. O orientador psicológico, ordinariamente, trata de problemas acadêmicos ou vocacionais. Podemos incluir aqui também conflitos conjugais e outros problemas da família.

  c)    Educacional:
É o ramo da psicologia que estuda o comportamento no processo de ensino/aprendizagem em diversas vertentes:
       Mecanismos de aprendizagem nas crianças e adultos;
       Eficiência e eficácia das táticas e estratégias educacionais.
O principal trabalho do psicólogo educacional é o que se relaciona com o melhoramento das condições de aprendizagem no contexto da escola. Seu campo imediato de pesquisa está ligado aos problemas do processo ensino-aprendizagem. Normalmente, entretanto, o psicólogo educacional lida também com problemas de ajustamento emocional no âmbito da vida acadêmica.

  d)  Industrial:
A Psicologia Organizacional, inicialmente denominada como Psicologia Industrial, estuda os fenômenos psicológicos presentes nas organizações. Mais especificamente, atua sobre os problemas organizacionais ligados à gestão de recursos humanos (ou gestão de pessoas).Ordinariamente, o psicólogo industrial é treinado também para o campo da propaganda comercial e promoções na indústria e no comércio.

Atualmente, a psicologia está ligada a empresas, seja no bem-estar de cada um dos colaboradores, até mesmo nas emoções geradas num ambiente de trabalho.

Tradicionalmente, as principais áreas da psicologia organizacional são: recrutamento, seleção de pessoal, treinamento e diagnóstico organizacional.

  e)   Orientação:
Utilizada para orientação educacional, vocacional, ocupacional e etc. tanto na forma individual quanto em grupo.

  f)     Consumidor:
A Psicologia do Consumidor tem como objeto de estudo o comportamento de consumo e o comportamento do consumidor (Gade, 1998).

Segundo Gade (1998, p.1) “o comportamento de consumo é definido como comportamento de procura, busca, compra, uso e avaliação de produtos e serviços para satisfazer necessidades” e o “comportamento do consumidor são as atividades físicas, mentais e emocionais realizadas na seleção, compra e uso de produtos e serviços para a satisfação de necessidades e desejos”.

  g)   Comunidade:
É uma aplicação da psicologia social para resolução dos problemas sociais nas comunidades. Constitui-se como disciplina recente na história da psicologia. Sua origem remonta, por um lado à psiquiatria social e preventiva, à dinâmica e psicoterapia de grupos, práticas "psi" que conceituavam uma origem social a seus objetos de estudo. São comuns os termos: “Psicologia na Comunidade” (Bender, 1978); “Psicologia do Desenvolvimento Comunitário” (Escovar, 1979); “Saúde Mental Comunitária” (Berenger, 1982); “Psicologia Comunitária/na Comunidade” (Bonfim, 1992).

  h)  Direito:
A psicologia jurídica é uma vertente de estudo da Psicologia, consistente na aplicação dos conhecimentos psicológicos aos assuntos relacionados ao Direito, principalmente quanto à saúde mental, quanto aos estudos sócios jurídicos dos crimes e quanto a personalidade da Pessoa Natural e seus embates subjetivos.
Este ramo da Psicologia dedica-se às situações que se apresentam, sobretudo nos tribunais e que envolvem o contexto das leis. Desse modo, na Psicologia Jurídica, são tratados todos os casos psicológicos que podem surgir em contexto de tribunal. Dedica-se, por exemplo, ao estudo do comportamento criminoso, ao estudo das doenças envolventes de situações familiares e de separação civil.

  i)      Medicina:
É o ramo da Medicina que tem a Psicologia como campo interdisciplinar específico, além de um grupo de procedimentos realizados por psicólogos - principalmente em alguns estados norte-americanos, na área da saúde. Difere da psicologia hospitalar e utiliza a prescrição de medicamentos psicotrópicos em sua prática. Aliás,a prescrição de substancias psicoativas por psicólogos tem sido objeto de polêmicos debates naquele país, apesar do reconhecimento da necessidade de psicólogos com especialização em psicofarmacologia e tratamento da drogadição. Pode também ser definida como ou o estudo das relações médico-paciente e das ações psicológicas na prática médica em geral associada a diversos "movimentos" promotores da humanização da medicina, do SUS, o Sistema Único de Saúde em todos os níveis ou "medicina da pessoa" na prática clínica individual.

Psicologia Experimental:
O objetivo da disciplina é apresentar diferentes psicologias que usam a experimentação como meio de obtenção de conhecimento, como a análise do comportamento, a psicologia comparativa e a psicologia social. Os psicólogos experimentais, portanto, estão mais interessados no estudo das causas fundamentais do comportamento. Entre as muitas áreas de interesse dos psicólogos experimentais, e nas quais teorias psicológicas mais sólidas estão sendo construídas, mencionaremos as seguintes: o estudo da sensação, a percepção, a aprendizagem, a motivação e as bases fisiológicas do comportamento humano e animal.

Bibliografia:

Wikipédia.org
ROSA, Merval. Introdução à Psicologia. Vol. 1, Petrópolis, RJ, Editora Vozes. 1995
www.cerebromente.org.br
www.psicoloucos.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário